15 setembro 2008

Avivamento. Um conto.

Avivamento. Um conto.

E então, depois de um mover profético onde todos os ministérios de fogo, glória, noiva, adoração e unção, houve um tremendo arrebatamento de almas e milhares e milhares se converteram.

Esse avivamento sobre a nação foi de tal forma forte que pessoas e mais pessoas iam se entregando a Jesus e corriam desesperados aos crentes que os ensinassem a respeito da Graça e da Vida com Deus.

Com tanta gente aparecendo, logo logo os conflitos denominacionais começaram a diminuir e não demorou muito para que os pastores de toda a nação se unissem no Supremo Conselho de Deus para o Brasil, o SCDB. Para não criar problemas, o conselho foi criado com três pessoas: Edir Macedo representando as Neopentecostais, Silas Malafaia representava as Pentecostais e Roberto Brasileiro representava as Tradicionais. Nomes como Ed René, Ricardo Gondim, Caio Fábio e outros foram logo esquecidos, pois agora o povo tinha sido tomado de tal frenesi que não adiantou nada os avisos que estes fizeram.

E assim nascia um novo Brasil. Um Brasil Evangélico.

Os primeiros anos foram anos maravilhosos, a violência diminuía, os políticos corruptos (inclusive os corruptos evangélicos) se voltaram para o povo e a economia continuou seu crescimento.

Mas foi no começo do 6º ano que me lembro que as coisas começaram a ficar estranhas. Naquele ano aconteceu o Maravilhoso Encontro com Deus para a Nação no Planalto Central, patrocinado pela SCDB. A intenção era destronar todos e últimos demônios que poderiam reinar sobre esse país. Lá estava inclusive nosso novo Presidente Evangélico, eleito em primeiro turno.

Foi quando um dos levitas que comandava o louvor disse que havia profetas ali que trariam a palavra do Senhor e então, eu o vi pela primeira vez, era o Querubim. Assim chamavam aquele apóstolo porque ele tinha sido levantado acima de todos os apóstolos do Brasil. Ele então disse as seguintes palavras:

“Assim diz o Senhor ao Brasil: Assim como Israel se livrou de seus ídolos, vós também deveis vos livrar! Eis que venho sem demora sobre esta nação, mas não suporto o pecado que vós deixais habitar entre vós! Como podeis adorar a mim e ainda aceitar aqueles que se desvirtuaram de seu nascimento? Como podeis adorar a mim e ainda aceitar catedrais em louvor a quem não é Deus? Como podereis oferecer sacrifício santo e honrado se no vosso meio habita o pecado?”

Logo aquele mesmo levita disse: “Deus falou conosco! Vamos obeceder!” e então o Querubim foi chamado a interpretar aquilo que havia sido dito. Ele disse que Deus estava cobrando todos os locais de adoração de outras religiões que havia no Brasil, também cobrava de seu povo uma posição frente aos homossexuais.

Logo surgiram pessoas com várias idéias, mas logo a multidão soube o que fazer. Como que guiados por um espírito, todo o Brasil agora adentrava catedrais católicas e depredavam toda a herança desta religião. Locais de culto afro brasileiros também eram alvo de depredação.

Na semana seguinte as praças se tornaram em fogueiras e imagens, cruzes, bíblias romanas, iemanjás e oguns ardiam entre as labaredas. Ex-católicos embebidos de raiva e ainda mais aqueles que já eram protestantes, que gritavam “Jesus é o Senhor do Brasil”, “Deus é fiel” e outras tantas palavras de ordem.

Em todo país tudo que lembrasse outra religião tinha o mesmo fim. Mas não era o fim.

Enquanto isso acontecia, outros tantos se voltaram contra os homossexuais. Logo acharam que tais pessoas precisavam de libertação e cura interior. Assim, ministérios dos quatro cantos do país resolveram dar novo uso aos manicômios. Aqueles que eram homossexuais para lá eram levados e aqueles de quem desconfiavam também. Ali o Senhor Deus ordenava sua benção e através da libertação eram agora ex-homossexuais. Aqueles que resistiam eram mantidos lá, até que suas almas fossem libertas.

Obviamente, a imprensa não ficou calada. Revistas internacionais denunciavam tudo que acontecia, mas o grupo Globo, Abril e outras editoras foram a falência por terem sido denunciadas como agências do Diabo. Assim, agora a população só lia a Folha Universal. Havia ainda um grupo de jornalistas envolvidos no intuito de dizer que algo estava errado, o personagem em maior destaque era Sérgio Pavarini. Ele também foi o primeiro.

Novamente o Querubim trouxe uma revelação ao Congresso e rapidamente baixou-se uma lei que promulgava a prisão daqueles ousassem denegrir a imagem da Igreja Brasileira ou do Supremo Conselho de Deus para o Brasil. Pavarini foi o primeiro a ser condenado e preso. Logo após começou a caça as bruxas, ou ainda, a caça aos hereges.

Caio Fábio, Rubem Alves, Ricardo Gondim, Ed René, Areovaldo Ramos e tantos outros foram logo trancafiados e denunciados como pregadores de outra doutrina e servidores de Demônios. Os ministérios de libertação foram novamente acionados e enviados para darem conta desta terrível ameaça que tais pensamentos representavam.

Várias empresas começaram a falir. Todas as ligadas ao setor de bebidas alcoólicas agora fechavam suas portas ou saiam do Brasil. Casas noturnas também acabaram. Teatros foram incendiados por conta de peças que foram encenadas lá. Os cinemas também faliram, afinal, todos os filmes agora passavam pelo crivo do SCDB.

As coisas começaram a ficar muito estranhas.

Agora acabaram de baixar o toque de recolher, afinal, a noite é hora das pessoas estarem em casa assistindo as pregações que passam na TV. A Rede Globo fez sua última exibição há uns dois meses. Agora a emissora pertence ao SCDB.

O exército foi posicionado nas barreiras pois alguns gentios teimavam em querer fugir do país. Alguns amigos tentaram ir para a Argentina, eram ao todo quatro. Mas só dois deram entrada na prisão e agora estão incomunicáveis, pois não é permitido o contato de hereges com o resto dos brasileiros. Eles só podem falar com os ministérios de Libertação.

Até semana passada, eu conseguia postar em meu blog de um endereço fora do país. Mas alguma coisa deu errado, eu acredito que fui denunciado. Enviei este texto ao meu irmão que vive fora do país e ele pôde postar de lá.

Escrevo isto como um adeus porque o que eu vejo acontecendo na libertação aqui é na verdade lavagem cerebral. Não sei se serei a mesma pessoa daqui em diante. Afinal, até agora ninguém conseguiu resistir aos ministérios. E aqueles que resistem somem misteriosamente. Nunca mais ouvi notícias sobre o Pavarini e Caio Fábio. Acredito que vocês também não terão mais notícias minhas.

Agora oro e espero. E penso sempre que talvez, o que aconteceu por aqui, não foi mesmo um avivamento.



César Chagas

10 de Setembro / 08

******************************************

Esse texto faz parte de alguns textos que estou escrevendo. Tô dando margem para minha criatividade... vamos ver no que dá.

Sobre o tema que escrevi acima indico duas coisas:

- A igreja do Diabo - Machado de Assis (Texto)
- V de Vingança - Filme

6 comentários:

Thiago Mendanha disse...

Então, meus dias estão contados?

César, não posso dizer que trata-se de uma profecia, porque, pelo perfil destes que seriam os pilares de tal realidade, nada mais poderia se esperar vindo deles! Que sirva de alerta para tantos quantos tenham ouvidos para ouvir...

Abraços!

Anônimo disse...

Golpe de 64 com uma nova roupagem!!!

Abraco Hermano

v.carlos disse...

Eu vou escrever um texto em resposta a esse seu.

v.carlos disse...

Mudei de idéia.

leandro ferraz disse...

"É bom que fique claro que a obra não se propõe à incitação de um regime teocrático, até porque o Estado Brasileiro é laico e a liberdade de crença é assegurada pela constituição federal", defende Carlos Oliveira. Sobre o livro recém lançado de Edir Macedo & Carlos Oliveira: "Plano de Poder - Deus e os cristãos e a política".

Seria o início do cumprimento da profecia???

Emerson Bahia disse...

Li o texto e gostei muito, mas o que mais me impressionou foi o filme "V de Vingaça"...Show de bola! Valeu pela indicação. Vez ou outra estou por aqui. Forte Abraço (Blog: http://emerson.bahia.zip.net)