12 agosto 2008

Carta a mim mesma

Minha amada esposa escreveu uma carta a si mesma. Temos vivido tempos difíceis de tentar redescobrir quem somos enquanto pessoas, porque a massa religiosa esmaga o indivíduo. Abaixo as linhas que estão mudando as nossas vidas:

*****************

Cansada da cartilha

É estranho mas acho que a música do Legião nunca fez tanto sentido na minha vida: “Acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto, nesses dias tão estranhos fica a poeira se escondendo pelos cantos, esse é o nosso mundo...”

Ontem percebi que minha vida fugiu de mim. Ontem pensei com mais força do que um dia eu pude sonhar em fazer, e o pior é que eu percebi que não sou mais senhora de mim. Hoje sigo uma cartilha de regras desnecessárias, feita por pessoas que não pensaram em mim no processo de criação. Me sinto parte de um jogo de fantoches onde as mãos não se preocupam se o fantoche está novo ou velho, se ele está bem ou mal, na verdade só se importam dele estar lá, a forma como isso acontece não importa...

Cansei da hipocrisia do “nossa, você sumiu...”, dos jogos de palavras que dizem que quem não aparece na igreja simplesmente não existe mais no mundo de quem a freqüenta. Cansei das perguntas de “Tudo bem?” sem querer ouvir a resposta... cansei de ser quem eu nunca fui e tentar ser quem achei sinceramente que era melhor eu ser.

Infelizmente descobri que grande parte das mudanças que esse ambiente fez na minha vida não foram boas. Aprendi, amadureci e conheci mais de Deus sim, mas tenho descoberto que, além disso, foram colocadas em mim coisas que Deus nunca quis que viessem no pacote.

Ainda não sei ao certo o que fazer para mudar isso tudo. Não sei sequer se consigo voltar a ser a pessoa agradável, com assuntos variados, com amigos que ligavam, nem que fosse para dizer que brigaram com o pai, para contar que o carinha que ela estava a fim ligou, ou nem mesmo precisava ligar, porque eu estava lá... Eu quero voltar a fazer parte da minha vida, voltar a tomar as decisões, mas principalmente, eu quero voltar a ter a minha vida.

E não venha com espiritualidade morta pro meu lado dizendo que “Deus tem que conduzir sua vida” porque eu sei disso e sei também que é Ele que o deve fazer e não os donos da igreja.

Cansei de esperar por dias melhores, no que depender de mim eu vou começar a compor os dias melhores da minha vida. E se você acha que isso não é de Deus, me perdoe, mas é problema seu com Ele. O meu problema Ele já me mostrou como eu devo resolver.

Tomei a decisão de redescobrir quem eu sou, às vezes criar um novo eu (porque sinceramente não sei se consigo mais voltar ao que eu era) sei que não vou mais ser parte da poeira que fica se escondendo pelos cantos, esse não é mais o meu mundo...

Mônica Antonialli


***************************

Para quem não conhece a música:



Amor, amo você.

4 comentários:

José Inácio disse...

Fia, a beleza de tudo, é que com
Deus,a nova criatura emerge, bela,
diferente e com certeza muita mais
linda... vá em frente sempre, principalmente com a visão que só
"ELE" pode te dar...
Dios te bendiga

José Inácio disse...

Fia, a beleza de tudo, é que com
Deus,a nova criatura emerge, bela,
diferente e com certeza muita mais
linda... vá em frente sempre, principalmente com a visão que só
"ELE" pode te dar...
Dios te bendiga

Anderson R. disse...

A esperança de dias melhores fundamenta-se na certeza da não magnitude dos dias presentes. A fé, por sua vez, retira sua validade da certeza do que esperamos, de modo que a luta evidencia sua presença em nosso coração. Então começamos bem. Digo "começamos", porque não estamos divididos por caminhos distintos.

NEle

marta disse...

Querida menina!
Confesso que as vezes sinto saudades até de mim! mas tudo isso é experiência, lição de vida.. dor do crescimento! sinto com você! "mas os que esperam no Senhor renovam suas forças". Continue caminhando e sei que a direção certa vem do Senhor!
Amo-te.
Beijos
Marta