16 outubro 2008

O Cristo do Sertão e a Idolatria

Bom, eu já tinha falado do Cristo do Sertão no post aí embaixo. Mas outro pensamento me veio e logo outro texto surgiu. Quero falar sobre a idolatria e identificação.

A primeira vez que estive no Nordeste foi numa viagem para Fortaleza, fui de ônibus conhecendo o sertão do Piauí e Ceará. Naquelas estradas ia conhecendo o povo, conversando com eles, observando seus costumes e divagando sobre como somos tantos povos sob uma mesma bandeira.

Gente simples, gente simpática, gente antipática, gente que roncava, gente que dormia, gente que chorava, gente que sorria. Eram gente.

E nós, os chamados protestantes ou evangélicos, apontamos este povo como idólatras porque quase todos traziam ao peito Nossa Senhora ou se agarravam ao santo que mais lhe agradava. Alguns chamavam a Padre Cícero, ou como lá é conhecido: Padim Ciço! Essa gente simples que vai pela vida com uma força que desconheço e ama seu povo e sua terra.

A esses eu tanto julgava! Mas conhecendo o Cristo do Sertão me bateu uma idéia. Uma dessas boas sabe?

Você já se sentiu envergonhado em um jantar chiquérrimo? Ou se sentiu um idiota com outras pessoas falando um idioma diferente ou mesmo um assunto tão profundo que não fazia o menor sentido para você? Já parou pra pensar que gente assim, tão simples, se sente assim na presença de Deus?

A Igreja Católica criou tantos ritos e suas catedrais se tornaram tão suntuosas que gente simples se sente pequena ali. Ali é a casa de Deus, mas não é a casa deles, a deles é de chão batido e cerquinha de graveto. (qualquer semelhança com os templos evangélicos não é coincidência... é reincidência... e burrice)

Aí, alguém cita que existiu um tal padre por ali e que fez milagres! Então, essa gente simples se identifica com aquele que foi gente como ele, viveu como ele e foi capaz de fazer milagre! Gente assim se identifica com uma mãe que obedeceu a Deus e agora, acha que Deus é um ser tão importante e inalcançável que pede o rogar desta mesma mãe a Deus, afinal, Deus é muito distante pra ele.

Quando chamam um santo, chamam alguém que era como nós!
Quando chamam uma santa, chamam alguém que obedeceu a Deus sem hesitar!
Quando chamam um padre, chamam alguém que amou aos outros mais que a si mesmo!
Assim, quando chamam qualquer um destes, é Aquele que responde. Afinal, foi Ele quem viveu, obedeceu, amou, morreu e realizou milagres!

Então, deixe de achar que um católico é idólatra porque chama um nome ou carrega uma imagem. Você não conhece o coração dele! Mas você sabe quem conhece!

Idólatra somos eu e você! Que mesmo sabendo que Jesus morreu por nós e nos deixou a herança do livre acesso ainda ficamos inventando coisas como libertação, óleos ungidos, orações fortes, unções de bichos e por aí vai! Nos enchemos de cargos e liturgias e assim, pisamos na Cruz!

Quando você coloca absolutamente qualquer coisa entre a Salvação de Cristo e você, o idólatra sou eu e você.

Deixe os pequeninos irem até Jesus e só. Não os impeçais!

E viva conforme Jesus viveu!

Lembra que ele não julgou?















Esse aí sou eu no Cristo do Sertão

15 comentários:

Paulo Brabo disse...

Precisamente, meu caro. A última experiência verdadeiramente "espiritual" que tive foi estar a pé com uma multidão de peregrinos "idólatras" na Festa de São Francisco em Canindé, no sertão do Ceará. Tive que engolir todas as minhas sofisticações e ver que Jesus -- que Deus -- estava caminhando ao meu redor na figura literal daquela gente muito real. Eu era a coisa menos espiritual, menos cristã, menos divina e mais idólatra naquela procissão -- e tive de chorar quando a graça tocou um canalha como eu e fui abraçado por aqueles meus irmãos.

Um beijão

Thiago Mendanha disse...

Nuuussa, primeiro de tudo, o Brabo comentando?! Show, hein?"! hehehe

César, a sua experiência e inerente conclusão expressa no texto nos faz refletir sobre como afastamos as pessoas do Reino... como Jesus disse, não entramos e impedimos que outros entrem!

Nós tornamos o Deus simples, Jesus, em uma "celebridade" distante e indiferente da fé, fazendo com que as pessoas mais simples de coração se sintam acanhadas ou pouco dignas diante desse Deus que pintamos! De forma que nem nós, nem eles desfrutamos da humanidade de Cristo!

Quanta presunção a dos evangélicos de apontar os irmãos católicos como "idólatras" réu do inferno... quanta cara-de-pau...

Obrigado por compartilhar suas impressões brother... um grande abraço!

César Chagas disse...

Grande Thiago... realmente... o Brabo comentar é um privilégio mesmo!!!

Brabo!!! ainda vou pra Curitiba!!! pode escrever!!! Vou curtir o Monastério!

A vocês dois, muito obrigado mesmo pelos comentário e pela amizade que sei que existe!

Isso me dá vontade de escrever mais! Vou esperar a próxima inspiração!!1 hehehehe

thiagão disse...

fala cesinha, mt bom isso e me faz pensar cada dia mais no meu próprio eu!!!
postei esse mensagem no meu grupo de estudo do ibadetrim!!! pelo google!!
axo interesante discutir isso com eles!!!
saudades veio, fiquei so seu blog!!!

Thiago Mendanha disse...

Eita, César... não bastasse o Brabo comentar por aqui... até postou seu texto lá no seu repositório de idéias! Show!!!

Que todos possamos ter essa mesma sensibilidade em relação ao próximo! Tal como Jesus... se for assim, seremos tão acessíveis quanto Jesus o era aqui na Terra. E se somos acessíveis, mostramos que Jesus também é acessível! Aliás, lembro-me agora de um livro do Brabo, Em seis passos o que faria Jesus. Em um dos passos ele fala sobre Jesus estar sempre disponível para as pessoas... coisa que usualmente não estamos!

Grande abraço, César! Espero ter a oportunidade de encontrar-me contigo novamente (e com mais tempo - rs)

Vítor Carvalho Ferolla disse...

Meus parabéns! =)

samambaia disse...

Não posso afirmar que eles não sejam idólatras, mas afirmo que eu, dito evangélico, sou muito mais idólatra do que muitos católicos.

Gostei do blog.
Abraço

leandro ferraz disse...

A idolatria de uns não pode servir de desculpas para não enxergarmos a idolatria dos outros. "Pelos frutos vos conhecereis" não é esta a mensagem do Cristo? Ver os frutos e nomeá-los é sinal de julgamento? Creio que não.

Lendo alguns trechos do seu texto lembrei de uma conversa que tivemos na casa do Pedrão, onde eu disse que não acreditava (e ainda não acredito) em libertação e essas unções que são realizadas por aí, e você tentou me fazer mudar de idéia. Agora estamos convergindo em mais alguns pensamentos.

No fundo somos todos idólatras: nós e eles. Todos carecemos da mesma graça salvadora e transformadora de Cristo.

Graça e Paz, meu irmão.

César Chagas disse...

Olá meu amigo ou amiga Samambaia!!! Que bom que gostou! Volte sempre!

Leandrão! Pra voce ver como a gente muda né... há em mim ainda tantos conceitos controversos com os quais luto diariamente e busco uma forma de me livrar deles.

Apenas lamento ter feito tantas concessões durante a minha vida! Me envergonho as vezes em que defendi verdadeiras asneiras...

Mas levei tempo para entender algumas coisas, mas Graças a Deus, ainda as entendi a tempo.

Abração

Patrick Moreira disse...

Meus sinceros parabéns!
E obrigado porque isso tudo
acaba de ligar algumas coisas que
Deus tem colocado no meu coração sobre tolerância, compreensão e igualdade entre todos nós!
Pena que tava tudo meio escuro...
acho que agora deu uma clareada!
:D
Talvez eu devesse pedir antes, mas vou colocar esse texto no meu blog...se vc nao gostar muito da ideia, é só avisar que eu tiro, ok?
God blesses!

Rogério disse...

Um povo sofrido, sem esperança e já não bastasse, os fazem carregar a culpa da própria desgraça sob a justificativa de idolatria.

Soa ridículo alguns ficarem no conforto e amparo da sorte (isso mesmo! Sorte, pois poderiam ter nascidos em qualquer buraco miserável também) dizendo que a África é miserável, porque são decendentes de Caim ou então que o nordestino sofre por ser idolatra.

Sou leitor do pava e agora sou seu leitor também. Parabéns e grande abraço!

Rogério

César Chagas disse...

Olá Rogério!!!

Muito obrigado pela visita e leitura!

Queria responder no teu perfil, mas o Google disse que você não existe!! hehehehe

Mas sei que você existe sim!

Grande abraço!!!

EVANGÉLICO disse...

SÃO TODOS IDÓLATRAS!!!
LEIA O QUE A BÍBLIA DIZ!!!

"Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra". (Ex 20,4)
"Não vos volteis para os ídolos, e não façais para vós deuses de metal fundido. Eu sou o Senhor, vosso Deus". (Lv 19,4)
"“Não fareis ídolos. Não levantareis estátuas nem estelas, e não poreis em vossa terra pedra alguma adornada de figuras, para vos prostrardes diante dela, porque eu sou o Senhor, vosso Deus"(Lv 26,1)]

César Chagas disse...

Olá Sr. Evangélico,

Obviamente você não entendeu o texto e presumo que também não tenha entendido o Evangelho do Amor, em Jesus Cristo.

A propósito, Paulo fala que aquele que quer usar uma partezinha da Lei, está obrigado a usá-la toda e jogar fora a Graça de Jesus. Assim, se você usa estes textos para se justificar, é bom que você não ande comendo carne de porco por aí e que também apedreje quem mente na sua igreja ok?

Ah, e fica a dúvida: quem é mais idólatra... aquele que olha para estes santos com olhos de humildade e reza dizendo que não é nada... ou aquele que olha para a sua placa e religião e bate no peito dizendo que é melhor?

Bom, pra quem quiser tirar a dúvida é só lembrar do publicano e do fariseu.

Abraços!

Anônimo disse...

Jesus também nasceu pobre,
e muitos poderam se identificar com Ele, e mas morreu por nós pagando um alto preço pelos os nossos pecado, então porque não segui-lo?
os "santos" dos nordestinos e cearenses foram pessoas que tiveram intensa intimidade com Deus,as quais se doaram ao evangelho e seguiram a Jesus.
não podemos seguir os nossos proprios pensamentos, mas devemos nos orientar na palavra de Deus a BIBLIA. Enquanto o povo por não conhecerem a palavra de Deus, seguirem os pensamentos humanos caminharam para a perdição, só JESUS devemos seguir pois o mesmo é O CAMINHO A VERDADE E A VIDA!