05 março 2008

As Brumas de Avalon

Trata-se da adaptação para o cinema da obra prima de Marion Zimmer Bradley com os tão famosos personagens Merlin e Artur e sua távola redonda.


Esta é a adaptação mais fiel ao livro original e obviamente ficou bastante extensa, mas conpensa a pipoca.

O que eu acho de mais interessante é que nos outros filmes o foco é muito pesado em Arthur, Guinevere e Lancelot. Mas neste a linha segue o livro... o foco está na religião essencialmente matriarcal exercida pelos druidas e sacerdotisas na antiga Bretanha.

Hoje essa religião é chamada de wicca, mas nem de longe se parece com aquela exercida naquela época. Além do estigma católico usado para tais praticantes: Bruxaria.

Não vou entrar no mérito do que está certo ou errado, estou falando de fatos, história e as fantasias criadas em cima do tema.

Mas este DVD é excelente. Pena que o orçamento foi tão pouquinho, dava pra fazer cada efeito muito bons. Enfim, pode locar.

Vou colocar a sinopse, apesar de ser grande. Mas bom filme.

Morgana (Julianna Margulies) recorda que a maioria do que foi dito sobre o Rei Arthur (Edward Atherton) e aqueles que o cercavam é mentira, pois, como sacerdotisa de Avalon, onde nasceu a religião da Deusa-Mãe, viveu estes acontecimentos, que começaram quando acontece o maior levante já visto na Bretanha. Os saxões varriam o país matando igualmente cristãos e seguidores da deusa de Avalon. Se um grande líder não unisse cristãos e pagãos, a Bretanha estaria condenada ao barbarismo e Avalon ao desaparecimento.

Gorlois (Clive Russell), o pai de Morgana, lutava incansavelmente contra as hordas de saxões. Nesta época Morgana era apenas uma criança, que vivia na Cornuália com Igrane (Caroline Goodall), sua mãe, que era ainda uma seguidora da antiga religião e praticava secretamente a antiga magia. Morgause (Joan Allen), a irmã de Igrane, também lá morava e apreciava o poder de Avalon. Um dia Viviane (Anjelica Huston), que também tia de Morgana e, principalmente, era a grã-sacerdotisa de Avalon, passou a visar apenas um objetivo: salvar Avalon dos saxões.

Ela teve uma visão que o rei morreria em 6 meses, sem deixar herdeiros. Viviane comunica a Igrane que ela irá gerar este líder, mas não com Gorlois, seu marido, e sim com um homem que usa o símbolo do dragão e é um seguidor da deusa. A idéia desagrada Igrane, sendo que Morgause diz que não tem marido a quem trair e também tem o sangue de Avalon, assim quer fazer este homem se apaixonar por ela e gerar esta criança. Viviane se opõe, dizendo que ninguém pode viver o destino de outro, e fala para Morgause que ela tem um rei e filhos no seu futuro, mas não dá explicações.

Viviane planeja salvar Avalon através da unção e treinamento de sua sobrinha, Morgana, como sua sucessora, manipulando a linhagem real para gerar Arthur, um rei que abraçará tanto as crenças pagãs quanto o cristianismo. Desta forma Avalon seria salva, pois a ilha é o centro pagão do poder e um mundo místico invisível para aqueles que não crêem.

Porém, conforme o cristianismo avança pela Inglaterra e mais pessoas se afastam da Deusa, esse reino misterioso se torna difícil de alcançar até mesmo para os que têm fé, com a ambiciosa Morgause se empenhando em frustrar seus planos. Viviane tem um temperamento determinado e boas intenções, mas comete um erro que atingirá Morgana pessoalmente e afetará toda a Bretanha.


thanks to Adorocinema.com

2 comentários:

Pedro disse...

hummmmm
eu li o livro, espero que o filme esteja tao bom qaunto, ou pelo menos próximo, hehe
Abracao, valeu pela dica

Anônimo disse...

Eu vi esse filme, e tal como qualquer adaptação ao cinema de qualquer livro foge das versões originais, eu pelo menos estou decepcionado com esse filme e me arrependo amargamante em te-lo assistido - apesar de parabenizar a atriz Angelica Huston pela impressionante interpretação como Viviane -, enfim não entendo muito de cinema e entendo que em se tratando em levar ao cinema a história de um livro realmente seja necessário fazer algumas adaptações, porém sugiro que antes de assistir ao filme leiam o livro e tirem suas próprias conclusões depois. Forte Abraço. Samir Rodrigues, este que vos fala.