18 junho 2008

Post de número 300


Em comemoração ao meu post de número 300, fiquei pensando no que escrever ou mesmo no que falar.

Bom, muita coisa tem me deixado assim, feliz e animado com a vida e tudo, mas uma coisa tem me deixado profundamente triste com algumas coisas.

É tão interessante poder observar que bastou eu discordar de algumas coisas, bastou eu criticar o status quo do que hoje chamam de igreja para que meus amigos aflorassem ou desaflorassem! Porque tenho visto a franqueza com que me criticam e a hipocrisia com que sorriem na minha frente!

É realmente muito revelador notar que basta você mexer um pouquinho e todo o discurso de liberdade e aceitação se torna uma grande besteira. Realmente não faço a mínima idéia de como nós, os que se chamam evangélicos, teriam condições de viver o que Jesus viveu.

Se apelam comigo de eu simplesmente discordar um pouquinho da forma como as coisas são feitas, imagina conviver em paz com um católico, um espírita, um budista ou outra coisa qualquer. NÃO SOMOS CAPAZES DE CONVIVER CONOSCO, QUEM DIRÁ COM AQUELES QUE CHAMAMOS "DE FORA".

Sim, se você se chama evangélico e tem orgulho disso... meu amigo, troque evangélico por fariseu e releia a Bíblia com todas as passagens que falam do que realmente são os fariseus. Afinal, somos apenas uma cópia barata do que os fariseus eram!

Pelo menos, o farisaísmo era completamente FRIO, hoje os evangélicos não são nada QUENTES. Isso nos faz MORNOS!

É triste.

Esta é uma viagem muito solitária... viver o evangelho perto de evangélicos. A gente espera a paulada do mundo (que não dá) e recebe dos amigos (que dão sem dó).

Mas escolho o evangelho... a qualquer custo.

Por isso coloquei a imagem do filme 300, porque viver o que Jesus pregou é o mesmo que enfrentar o que eles enfrentaram.

3 comentários:

Thiago Mendanha disse...

Pior q é desse jeito mesmo, César...
Mas, vale a batalha pra não perder a alma...

Abraços!!!

Vera Sebastiana disse...

Parabéns cara......
Adoro seu blog,faz a gente refletir ,refazer idéias etc.
Quanto a ser morno BHAAAAAA não quero ser não.Então vamos a luta.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Ouvi Caio Fábio dizer certa vez, que o Cristianismo construiu um "evangelho que é a cara dos fariseus", mas não tem nada a ver com Jesus de Nazaré. Um dura, mas pura verdade.

Parabéns pelo texto e pelo blog,

Juber